Entenda As Primeiras Siglas Que Você Irá Aprender No Mundo Financeiro

No inicio dos nossos investimentos, as siglas financeiras, tais como o CDB, LCI, LCA, LC, Tesouro Selic e entre outras, parecem complicadas.

Eu sei, no primeiro momento essa sopa de letrinha são um pouco confusas.

Mas as siglas existem para facilitar o entendimento de cada operação financeira. Com o passar do tempo, tudo vai ficando mais tranquilo.

Para facilitar, vou explicar cada uma delas. Vamos às Siglas Financeiras:

SELIC (Sistema Especial de Liquidação e Custódia)

A a taxa Selic, é a taxa base da economia e conhecida por muitos como a “taxa mãe”.

Essa taxa é definida a cada 45 dias, por meio de uma reunião do Comitê Política Monetária. Nessa reunião, é decidida se a taxa será mantida, irá cair ou subir.

Você irá ouvir muito da taxa Selic, quando optar por investir no Tesouro Selic. É um título do Governo vinculado a essa taxa de juros.

Em resumo, o Tesouro Selic acompanha o desempenho da taxa Selic.

No momento em que escrevo este artigo (julho/20), a taxa Selic está 2,% ao ano.

CDB (Certificado de Depósito Bancário)

É um investimento de renda fixa, emitidos pelos bancos. Uma forma bem fácil para entender o seu papel no investimento CDB:

Você é quem vai ser a pessoa que irá emprestar dinheiro ao banco. Uma definição bem direta e vamos aprofundar.

Ao emprestar o seu dinheiro para uma instituição bancária, o banco irá te pagar um juros por isso.

Ou seja, o banco emite um título com o intuito de captar recursos financeiros, você analisa o prazo e juros que ele (banco) irá te pagar ao final desse título.

CDI (Certificado de Depósito Interbancário)

Já o CDI é título emitido por um banco, no qual empresta dinheiro para outro banco. Então você me pergunta, por que um banco precisa emprestar dinheiro para outro?

Por lei, um banco não pode encerrar o dia com saldo negativo.

Assim ao final do dia, ao analisar o caixa final, caso esteja negativo, esse banco acaba pegando empréstimo de outro banco em um curto prazo. Desta forma, ele fecha ao menos zerado.

Então por que o CDI sempre está atrelado aos nossos investimentos?

Simples, para nós o CDI é uma taxa. Essa taxa praticada entre os bancos, acabou vinculada a outros investimentos, como por exemplo o CDB, como já citei acima.

Desta forma, quando falamos que o CDB está rendendo 100% do CDI, muitas pessoas acabam confundido e achando que o CDB está rendendo 100% ao ano. E não é isso.

Quando o CDB rende 100% do CDI, significa que ele rende 100% da TAXA do CDI.

A taxa do CDI em (julho/20), está 1,95% ao ano.

LCI e LCA

Esses dois investimentos, LCI e LCA, são praticamente “irmãos”, pois são muito parecidos. O que muda praticamente, é somente a destinação do recurso. Vamos a eles:

  • LCI (Letra de Crédito Imobiliário) – Você empresta dinheiro para o banco, para que ele financie o setor imobiliário.
  • LCA (Letra de Crédito Agrícola) – Você empresta dinheiro para o banco, para que ele financie o setor Agrícola.

Os investimentos em LCI e LCA não têm incidência de IR (Imposto de Renda), diferente do CDB e Tesouro Selic, que sofrem a cobrança.

LC (Letra de Câmbio)

Esse nome, acaba causando um pouco de confusão. Muitas pessoas associam essa sigla a operação de câmbio, ao dólar, casas de câmbio… mas não é isso.

A LC tem a mesma característica do “CDB” mas ao invés de você emprestar dinheiro ao banco, o empréstimo é destinado para as financeiras.

Esse tipo de investimento teoricamente, tem um pouco mais de risco. Pelo fato de o objetivo das financeiras ser exclusivamente emprestar dinheiro.

Ou seja, quando a economia vai bem, as pessoas acabam pegando empréstimos com as financeiras.

Mas a partir do momento que a economia vai mal, as pessoas começam a priorizar outros tipos de pagamentos e possivelmente, o número inadimplentes com as financeiras tendem a crescem.

FGC (Fundo Garantidor de Crédito)

É uma instituição privada, sem fins lucrativos, com a missão de proteger investidores no sistema financeiro nacional. Todos os investimentos citados nesse artigo, são cobertos pelo FGC.

Funciona da seguinte forma – Caso a instituição que você tenha emprestado o seu dinheiro, não cumpra os compromissos financeiros, o FGC irá cobrir o seu investimento.

O FGC, cobre até R$ 250 mil por CPF/CNPJ por cada instituição, com um limite de R$ 1 milhão.

Ou seja, você pode ter até 4 investimentos de R$ 250 mil em cada instituição, que você estará coberto caso alguma delas não honre os compromissos financeiros.

Caso aconteça de você utilizar o FGC, a renovação do saldo é a cada quatro anos.

Em suma, falamos de várias siglas financeiras. Se necessário releia esse artigo e passe para outras pessoas que estão no início de seus investimentos.

siglas financeiras
siglas financeiras

Visite nossas redes sociais Facebook e Instagram

Deixe uma resposta